Sou

Standard

A minha vida não cabe numa ideia, sou o próprio pensamento
tão pouco cabe num versiculo, sou infinito como Deus.
Não sou apenas mais um, mas tudo em todos.
Saboreio o sal de todas as lágrimas, sinto o calor da ira.
A vergonha do prazer.
Não posso ser louco, porque a loucura já se apaixonou por mim, mas nunca me teve.
Não me podem silenciar porque eu sou a voz do silêncio.
Em mim caminham todos os estranhos, aqueles que procuram o desconhecido.
Não quero ser seguro, quero apenas ser eu, sem limites e barreiras, apenas tudo, em todos os momentos, em todos os lugares,em todos os tempos, em todas as eras.
Todos querem voar, eu quero apenas flutuar num vazio incompreensivel em que não penso.
O meu corpo está tenso, deste prazer.
Sou o liquido que escorre nas tuas mãos, o odor que atravessa o ar.
Não me consegues agarrar, aprendeste a andar, mas eu deslizo.

Ricardo Gomes

Transcendência

Standard

Dentro de mim existem coisas belas e selvagens, coisas que me dominam.
Amores impossiveis, tenho medo que se tornem um vicio, algo sombrio cheio de desejo e morte.
Uma morte fria aquecida pela adrenalina do momento, algo que não podes controlar, este tormento desperto pelo olhar, esta sensação que nunca te esqueci.
No suspiro da loucura és ar tóxico que me consome.
Transpiro os teus gemidos, existo no teu corpo.
Dou por mim morto, sem ar, o que é respirar se não sentir a tua presença?
Nunca te vi até este momento no entanto parece que nunca te esqueci.
Os corpos entrelaçados na trascendência do prazer, respiração ofegante num lugar onde não posso ser.

Ricardo Gomes

 

Inconstância do Ser

Standard

Sinto-me seguro na insegurança.

Na incerteza descubro as maravilhas da vida.

A ilusão faz sonhar, a desilusão acorda.

Nem os meus planos cumpro, quanto mais os dos outros.

Não se arruma uma alma desorganizada na organizada prateleira do destino.

Onde o propósito arruma a ilusão dos sonhadores.

Crianças inseguras que precisam de um papá para lhes guiar os passos.

Nesta vigilia permaneço desperto pelos gritos, dos que já não estão cá.

Contemplo a inscontância de ser,

a beleza do não permanecer em nada.

Quão  belos são os pesadelos! Quão desejosos os seus sons!

Neste meu cansaço escolho cada passo.

Sem mãos para me guiar, desejo o sonho, algures onde estás papá.

Ricardo Gomes

Lágrimas do Poeta

Standard

Leio o mundo em versos,

as letras rasgam-me os olhos,

A tinta escorre pelo corpo, desce ao coração.

Sinto o belo, no confuso vazio.

Ouço as rimas, sinto o som.

O sabor dos momentos, o perdurar do tempo.

O branco que se esbate na escuridão das letras.

Aprisionado numa folha, guardada algures.

Liberto pelos olhos, daqueles que lêem.

Aprisionado por corações desinteressados.

Ricardo Gomes

Insónia

Standard

 

Aquilo que fazemos com o corpo afecta-nos a alma.

Não eu mas ele,  não ele mas nós.

Procuramos conforto na escuridão.

Existimos nas trevas, transpiramos prazer.

Rasgamos a carne, enlouquecemos o corpo.

(I)

Dá-me mais um pouco da tua alma.

Saboreia-me os sonhos.

Embeleza os meus pesadelos, habitante de insónias.

Deixa-me explorar cada uma das tuas fantasias.

Devora-me em segredo

Salva-me desta loucura.

(II)

Entrega-me o teu corpo, ardo em febre, amo a destruição.

O prazer sufoca-me, preciso de espaço.

O sono é para os fracos,

desejo a loucura,

desejo a genialidade.

Quero beijar esses lábios, roubar-te a verdade.

Ardo em febre, enfraqueço na saudade.

(III)

Destrói-me enquanto podes.

Lá fora as luzes não param,

o silêncio faz barulho.

A cabeça está pesada.

Sufoca-me neste momento, termina o meu tormento.

Ricardo Gomes

O mundo em que nasci

Standard

Imagino-me a regressar atrás no tempo,

uns dias antes de eu nascer

quando estava no ventre da minha mãe.

Vivia num lugar escuro cheio de trevas sem qualquer tipo de luz.

Um lugar silencioso.

Era só água neste lugar, eu flutuava não pousava os meus pés em nenhum sitio firme.

Não havia nenhum teto,

simplesmente flutuava, abrigando-me na liberdade.

Vivia ligado a um tubo.

Estava nesse lugar até que um dia arrancaram me de lá.

Tive que sair,  tive que ir para um sitio cheio de barulho.

Para um sitio cheio de leis. Existe uma lei  em que se eu quiser flutuar  se desejar tirar os pés do chão, não posso.

Sou pressionado para baixo, obrigado a caminhar com os pés em sítios firmes.

Existe outra lei em que o meu corpo não pode habitar dentro de agua, se ficar sem oxigénio morro.

Existe outra lei em que para sobreviver não posso confiar em ninguém a não ser em mim próprio.

Não me habituei a este mundo.

Estou habituado à escuridão, estou habituado a viver num sitio onde  posso flutuar e mover me livremente sem nenhuma força a puxar me para baixo.

Estou habituado a confiar em alguém num ser superior que me alimenta através de um tubo.

Eu dependo totalmente dele.

Quero voltar outra vez para o ventre da minha mãe e desejava nunca ter saído de lá.

Ricardo Gomes

Brilhante Ser

Standard

Este sonho tão alto e tão forte.

Tecido pelas mãos, imaginado por anjos.

Por momentos perdi-me, vagueando em sentimentos oscilantes.

Deslumbrado por pensamentos de um ser brilhante.

Em noites sem lua reluz, carrega mundos nos seus olhos.

Queimado pelo toque, transpiro no seu calor.

Desejo esquecer para me lembrar, de forma mais intensa.

Este ser tão real.

A explosão do seu beijo, cada segundo, cada detalhe, um momento eterno.

Não quero acordar, anseio por adormecer nestes braços,

brilhar no seu corpo.

Ricardo Gomes

Perfeitos Momentos

Standard

Deitado na cama és o suspiro que me envolve.

O fogo abrasador desta chama que me devora.

Extraís de mim, o que não consigo tocar.

Em ti deixo-me levar, neste momento de entrega.

O som funde-se nos corpos em união.

O respirar é falar.

Olhar é amar.

Quando tempo durará permanecer dentro de ti.

Quanto tempo existirei longe de mim.

De olhares fechados imagino um lugar,

onde isto não tem fim.

Ricardo Gomes

Confissões

Standard

Nem tenho palavras para explicar este desejo.

Sufocante.

A vontade de a possuir, explorar o seu corpo, sentir a sua respiração.

Adormecermos abraçados, acordando repletos de amor.

Preciso dela, do seu amor.

Esta doença cria grandes paixões, destrói os maiores amores, arrasa-me a mente, perdendo-me em cada pensamento.

Nela a doença transcende-se, o amor é a origem, o principio da criação e destruição, o único estado de espirito possivel.

Quero permanecer dentro dela, sentir cada batida do seu coração.

Inspirar o seu hálito, tremer com cada gemido.

Enquanto as suas pernas me envolvem, as minhas mãos apertam a sua cintura contra mim.

Os meus dedos percorrem lugares escondidos, enquanto o meu respirar cobre o seu pescoço, cada beijo dado no ombro, cada olhar que se perde.

A minha vontade penetra a mais profunda ânsia da sua alma.

Os suspiros são códigos, sinais que transmitem uma linguagem sem palavras, algo que nos envolve.

A cama é um campo de batalha, o choque impactante entre o viril e o sensual.

O bruto e o suave, os corpos e  almas.

A fusão num novo mundo que existe em momentos dispersos.

Quero-a mais do que tudo, vou ser o seu homem, o cuidador.

Dar-lhe-ei abrigo nos meus braços, quero conceder-lhe cada desejo.

Seremos selvagens á noite, esfomeados pelo corpo um do outro, cada centímetro explorado pelos meus lábios, por horas estaremos perdidos em labirintos de prazer.

De dia seremos essa união que se consuma durante a noite.

Quero-te *****, quero-te toda para mim.

Ricardo Gomes

Citação

 

Sou sufocada pelo tempo em que me fazes esperar.

Espero por ti entre os lençóis abertos. Chamo-te de: “meu amor” e pergunto-te: “onde estás?”.

Estou a sufocar, a morrer aos poucos. Quero-te comigo, num doce embalo de amor e ternura.

Desejo o teu corpo, a tua alma em mim.

Tudo é luz.

Abriu-se a porta e apareces. O teu sorriso que me hipnotiza, os teus olhos que me penetram a alma.

Aproximas-te e tudo se transforma. És o desejo que não escondo.

[Direitos reservados - Caderno de L.A.]

http://ooutroladomeu.blogspot.pt

És o desejo que não escondo

Citação

 

A noite já caíra.

De pé, ele esperava que a sua, agora esposa, entrasse no quarto.

Ambos sabiam que aquela seria a noite em que dois corpos e duas almas se fundiriam numa só.

A entrega recíproca faria nascer uma só carne. Ela entrou e sorriu-lhe, um pouco tímida talvez, mas desejando entregar uma parte de si que guardara como um tesouro escondido. Aquele era o maior presente que seria desembrulhado.

O que estivera oculto seria agora revelado perante os olhos do seu esposo.

O momento chegara e eles sabiam que algo precioso iria acontecer.

Ela deu um passo em frente e de corpos voltados um para o outro e ainda de pé, olharam-se fixamente. Os olhares penetrantes e o silêncio das duas bocas, quase que poderia incendiar aquele lugar.

Beijaram-se. Tocaram-se suavemente.Os corações aceleraram.

Lentamente as roupas desapertadas caíram no chão.

Dois corpos apenas vestidos com roupa interior abraçaram-se. O desejo de possuir ardeu. Ele deitou-a na cama atrás de si, com ternura e amor. Ela sentia cada toque no seu corpo, cada beijo semeado com paixão nos poros da sua pele. Ela sentiu sementes de encanto serem plantadas e fechou os olhos.

Ele deslizava sobre o seu corpo e fazia-a sentir a magia em cada contacto. Ele explorava, descobria os pormenores. Cheirava a sua pele, mordia carinhosamente, beijava apaixonadamente. Ela agarrou os ombros do seu amado, tocou nos seus cabelos e gemeu de prazer.

A roupa que restara era agora tirada. Ele deslizou um pouco mais e conheceu os seus segredos mais íntimos. Grande era o prazer que sentiam. O conceito de tempo dissipara-se naquele momento. Tudo era puro. Ele subiu. Dois corpos nus encostados, encaixados, possuíram-se. Os batimentos cardíacos dispararam velozmente.

Duas respirações ofegantes, gemidos, gritos de deleite, costas arranhadas. Os lábios encontraram-se novamente num doce e profundo beijo. Tudo era amor e verdade.

Mãos entrelaçaram-se revelando a união emocional. Ela confessou o seu afecto com um: “eu amo-te”. Eram poucas as palavras, mas grande a envolvência.

Ela agora deitada sobre o seu corpo suado e exausto. Ele por baixo, abraçando-a fortemente.

De olhos fechados, deixaram-se adormecer no silêncio da noite. O fogo queimou a carne deitada entre os lençóis brancos. No ar, a fragrância a perfume encheu aquele lugar. Estava consumada a adoração. A presença do Espírito envolvia milagrosamente cada partícula dos apaixonados.

[Direitos reservados - Caderno de L.A.]

http://ooutroladomeu.blogspot.pt/

No dia em que nos possuímos

Coisas Estranhas

Standard

tumblr_mhpn2wWSsw1rek1x6o1_500

Na vida há coisas estranhas que não conseguimos explicar,  momentos confusos, sentimentos soltos.

Durante muito tempo ansiamos por esse momento, idealizamos cada pormenor passando horas a imaginá-lo e quando acontece não sabemos reagir.

Nestes momentos em que o coração acelera e o corpo treme, por dentro perdemo-nos numa queda livre sem fim, as horas parecem segundos.

tumblr_mgzxm3DFFi1qlqyaco1_500

  O estômago agita-se, como se borboletas percorressem o seu interior.

   É quase insuportável, uma sensação sufocante,  estar perto daquela pessoa, ver o seu nome numa mensagem, imaginar a sua voz.

    Este incómodo é viciante, mesmo que não o suportemos, não queremos deixá-lo.

  A química é estranha. Não aquela que se experimenta em tubos de ensaio por cientistas malucos.

 Falo daquela que se experimenta dentro do estômago, nas emoções imprevisíveis  por loucos apaixonados.

 Esta química transmite-se com os olhares, lê-se nas entrelinhas, fala nos silêncios. 

Ricardo Gomes

Retrato Poético…Lucy Stonem

Standard

No meio das trevas, vi uma luz.

Bastava apenas isso, para o teu mundo mudar.

Um mundo de lágrimas e gemidos, um sitio onde fica muito por dizer.

Um lugar sem abraços, onde se teme perder segredos bem guardados.

*

tumblr_mjoav0tLKt1rsrv6xo1_500

Quero que estejas comigo na escuridão, para me segurares.

Continua a amar-me.

Que eu me perca nesses braços onde tudo deixa de existir.

*

Percorrendo trilhas desconhecidas, fujo do meu mundo, só procuro amor.

*

Onde estás?

Estarás no silêncio que evito, ou no vazio que preenche o meu peito?

*

Cansada, as lágrimas percorrem a face, na ausência de vozes.

Só queria me encontrar, estou tão perdida.

*

Lucy e Ricky Stonem são inadaptados, almas que nasceram erradas.

As suas vidas são um caminho torto sem aparente solução.

Ninguém compreende as suas palavras, eles falam com os olhos.

Indomáveis, selvagens e corajosos.

Sensuais e destrutivos, ouvem vozes e vêem espíritos.

Os vícios superam as virtudes, o torto quebra o direito.

Ricardo Gomes

Noite

Standard

Amamos a noite, apenas nas trevas reluzimos.

Entrego-me nos teus braços incandescentes, numa queda sem fim onde o vazio se irrompe em silêncios inquietantes.

O teu respirar sobre a minha pele,

a voz que transcende significados, os toques enigmáticos do desejo oculto.

Na ausência de olhares humanos, os amantes amam-se em leitos consumidores.

Onde o Sol não nasce, nem a Lua se põe.

Existo nos teus olhos, sendo o som dos teus suspiros.

Ricardo Gomes

tumblr_mdpjsb37Za1ql73z8o1_500

Definição Poética

Standard

Eu definiria o efeito poético como a capacidade que um texto oferece de continuar a gerar diferentes leituras, sem nunca se consumir de todo.

- Umberto Eco

Poesia não são rimas

mas letras que choram.

Poesia não são formas,

são gritos que se escrevem.

Poesia não é imaginada,

é o lamento da madrugada.

Todas as coisas têm o seu mistério e a poesia é o mistério que todas as coisas têm.

- Federico Lorca

Poemas dão vida,

a sentimentos que morrem.

Deitando a paixão com o amor,

conversando com a tristeza e a dor.

Não é o poeta aquele que não tenha a tentação de destruir ou criar outra linguagem

- Octavio Paz

O poema é uma imaginação real,

que te abraça de forma sensual.

Identificas-te com os versos,

porque falam com a tua voz.

Poesia é o belo que surge quando estamos sós.

Poemas não se estudam,

sentem-se.

A poesia é a união de duas palavras que nunca se supôs que se pudessem juntar e que formam uma espécie de mistério.

- Federico Lorca

 Mãos cegas ouvem e escrevem,

o que corações gritam.

Porque as bocas suspiram,

algo que sentem,

que olhos não imaginam e ouvidos não ouvem.

A poesia não quer adeptos, quer amantes.

- Federico Lorca

 O verso transmite infinitos toques,

sem gramática ou holofotes,

sem propagandas ou ideias

o verso faz-se ouvir

na voz que te baseias.

Torna belo o que é feio.

Marca para sempre o que não se deve esquecer.

O ritmo é o que faz a poesia persuasiva e não informativa. 

- José Hierro

Letras que se ouvem com os olhos

e entendem-se com o coração,

são todos os poemas formados na escuridão.

Ricardo Gomes